Compartilhar

Além da temporada, os empresários locais estão com boas expectativas para a retomada do turismo no estado

A temporada de pesca 2021 iniciada nesta segunda-feira (01.02) deve movimentar 20% a mais de turistas em Mato Grosso do que em 2019. A previsão é da Secretaria Adjunta de Turismo do estado que recebe anualmente cerca de 90 mil pessoas para a prática do esporte. Estimativas apontam que o Brasil tenha 6 milhões de praticantes e que o segmento movimenta mais de R$ 1 bilhão, sendo o pantanal brasileiro um dos principais destinos para os esportistas.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda, a temporada está bem propícia para ajudar o estado a retomar as atividades turísticas. “Temos visto pesquisas que apontam que os turistas procuram lugares abertos, com pouco movimento e muita natureza. Nosso estado é rico em tudo isto: turismo de aventura, ecoturismo, pesca esportiva, atrações para os turistas explorarem Mato Grosso com segurança e movimentarem a economia dos municípios”, disse.

Além da pesca esportiva, Mato Grosso já reabriu todos os seus atrativos obedecendo todos os protocolos de biossegurança indicados pelo Ministério do Turismo para receber os turistas que desejam conhecer um pouco do estado, como explica o secretário adjunto de turismo do estado, Jefferson Moreno. “Queremos que todos conheçam nossos atrativos turísticos, especialmente os moradores de Mato Grosso. Temos uma campanha para fortalecer o turismo interno, para que quem vive aqui também usufrua das nossas belezas naturais”, concluiu.

TURISMO RESPONSÁVEL – Trata-se de uma sinalização visual que identifica estabelecimentos e guias de turismo que assumiram, declaradamente, o compromisso em adotar protocolos de biossegurança para proteger turistas e trabalhadores contra a Covid-19. E, desta forma, possibilitar que a retomada das atividades turísticas ocorra de forma mais segura no Brasil.

O selo está disponível para 15 atividades turísticas, como meios de hospedagem, parques temáticos, restaurantes, cafeterias, bares, centros de convenções, feiras, exposições, guias de turismo, dentre outros. Cada segmento possui um protocolo sanitário específico, elaborado em parceria com empresas e instituições ligadas ao setor (trade), a partir de diretrizes internacionais. Também há um protocolo destinado exclusivamente aos turistas, com atitudes de cada um que protegem a todos.

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Deixe uma resposta

Compartilhar